Notícias

Projetos homenageiam Nelson Mandela e Frei Tito, lutadores do povo!

 

Quem vê o trator iniciando o trabalho no terreno do Bairro Cooperativa, nem imagina a luta que centenas de famílias travaram para chegar a esta conquista! Um dos pontos altos desta luta aconteceu no dia 25 de Março, quando o MSTL (Movimento Sem Terra de Luta) assinou o contrato para a construção de 800 apartamentos para famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00, em São Bernardo do Campo. São dois Projetos: Nelson Mandela, com 300 unidades, e Frei

Tito, com 500 unidades, divididas em oito blocos de 13 andares, cada um com 100 unidades, formando 03 condomínios. As unidades garantem acessibilidade para cadeirantes, sacada e área útil de 53 m². Os condomínios, além do salão de festas, quadra de jogos e playground, terão espaços comunitários, cuja destinação será

decidida pelos próprios beneficiários.

 

A demanda é composta por movimentos filiados à CMP e por uma parceria com os Sindicatos dos Servidores de SBC, dos Metalúrgicos do ABC e dos Agentes Comunitários de Saúde de SBC. “Neste projeto pretendemos implementar os 4 princípios do MSTL, Solidariedade, Justiça Social, Sustentabilidade e Participação Popular. A parceria com as entidades é a principal forma de demonstrarmos a solidariedade com os movimentos que fazem a luta”, disse Eduardo Cardoso, Coordenador do MSTL e Coordenador Nacional da CMP. Eduardo Cardoso, afirma, ainda, que “Esta é uma conquista coletiva, e fruto da luta dos movimentos populares”, e ressalta que esta é apenas uma conquista na vida das pessoas: “A luta continua, pois, além da moradia, temos que nos organizar na garantia de nossos direitos como saúde, educação, transporte público, entre outros”, conclui.

 

A participação popular será o carro chefe do projeto, assim como a continuidade das mobilizações de rua, pois esta é a essência de ser movimento popular, e o

principal objetivo do MSTL. Sem luta, não há conquista! A formação, a cultura, a convivência comunitária e a sustentabilidade, estarão presentes nos projetos de

engenharia e social. “Ousaremos ser um projeto referência quanto à sustentabilidade, que entendemos como o respeito à natureza e às futuras gerações, e pretendemos atingi-la oferecendo oportunidades de geração de renda, de práticas sustentáveis e de uma convivência coletiva, com forte enfoque na educação, saúde e cultura”, afirma Eduardo Cardoso.