Nossos Projetos

Placa Frei Tito e Nelson MandelaQuem vê máquinas e trabalhadores no terreno do Bairro Cooperativa, em São Bernardo do Campo, logo percebe que ali será realizada uma grande obra. Mas, o que a maioria nem imagina é que este trabalho representa a “concretização” de um processo de muita organização e luta das 800 famílias que vão viver ali. 

Desde as primeiras reuniões nos nossos Grupos de Base, passando pela aquisição do terreno, de um processo muito difícil de cadastramento de cada uma das famílias, de aprovação da planta, definição da construtora, até a colocação da placa de construção (veja imagem ao lado), sempre nos deparamos com duas coisas essenciais: a consciência de que lutamos por um direito e a certeza de que só com esta luta o povo é respeitado. 

Enfrentamos burocracias, um golpe que tem destruido o programa Minha Casa Minha Vida para baixa renda, e a má vontade de alguns que acham que pobre não devia ter saído da senzala, mas vencemos estas batalhas, uma a uma, e venceremos até a última, na entrega das chaves, daqui 24 meses!

PROJETOS PODEM VIR A SER MODELOS DO "BEM VIVER"
Os Projetos Frei Tito e Nelson Mandela foram concebidos a partir dos princípios do MSTL, que prevêem a construção coletiva de suas ações. Para nós, a participação efetiva das famílias organizadas, de dirigentes e militantes faz parte de um processo de educação popular, onde aprendemos juntos e na prática.  

Foi assim que se estabeleceu que, mais do que os tradicionais condomínios, com caráter comercial e individualista, iríamos construir verdadeiras comunidades, com respeito a todos os moradores, prevendo as peculiaridades referentes a faixa etária, religião, etnia, gênero e inclusão de deficientes. 

Nosso Coordenador Geral, Eduardo Cardoso, afirma que “É possível construir uma comunidade solidária, harmônica, integrada e autossustentável, com geração de renda e serviços que beneficiem a todos, construindo uma gestão que buscará a sustentabilidade social, econômica e ambiental. Pretendemos nos tornar referência de organização coletiva e uma experiência real do bem viver”.

estaca no terreno

ARQUITETURA E ENGENHARIA
A concepção do projeto teve como prioridade a definição de espaços idealizados para a vida em comunidade. Assim, as sete torres contam com elevadores, espaços comunitários e apartamentos com tamanho acima da média nacional - 54 metros quadrados - todos com sacada. Isso só foi possível graças ao Minha Casa Minha Vida-Entidades, que prioriza a qualidade das unidades, ao contrário de empreendimentos comerciais, que só visam o lucro. Outra novidade será a viabilização de parceria para captação de energia solar, que possibilitará a diminuição do valor de manutenção dos custos da comunidade. 

TRABALHO SOCIAL
Também nesse caso, o MSTL decidiu fazer melhor do que o exigido pelos órgãos financiadores e organizou as famílias em quatro grandes coletivos: Geração de Emprego e Renda, Gestão Social, Educação Popular, Mulheres e Juventude.  

A partir desses coletivos, estão sendo constituídas ações, mesmo antes do início das obras, que garantirão a utilização dos espaços comunitários para geração de emprego e renda, com a instalação de cozinha com padaria comunitária, lavanderia popular, horta e feira orgânica, educação para as crianças, de forma comunitária e capaz de integrar o lúdico e o pedagógico, entre outras iniciativas que ainda podem ser sugeridas pelos coletivos e decididas em assembleia.