Nossos Projetos

cenforpeAtividade, que contou com palestra do escritor Frei Betto, foi marcada pela emoção e pela certeza de que vale a pena lutar por nossos direitos!

O dia 16 de janeiro de 2016 entrou para a história de vida de 417 famílias que foram aprovadas pela CAIXA. Em Assembleia realizada no CENFORPE – Centro de Formação dos Profissionais da Educação, em São Bernardo, os aprovados assinaram o Termo de Adesão aos Projetos Frei Tito e Nelson Mandela. Neles, o MSTL vai construir 800 apartamentos de dois dormitórios, no Bairro Cooperativa, através do Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal.

As famílias aprovadas no dia 16 unem-se às 144 aprovadas em 2015. As demais, continuam aguardando a avaliação da CAIXA, e a expectativa do Movimento é de que a maioria absoluta será aprovada: “Temos alguns casos em que houve dificuldades no processo de transmissão das pastas, por motivos técnicos ou pela demora na apresentação de documentos. Pouquíssimas situações acarretaram a desaprovação dos cadastros em virtude de descumprimento das regras estabelecidas pelo Minha Casa – Minha Vida, por isso, estamos muito confiantes de que a aprovação completa das 800 famílias se dará em breve”, explica Miriam Hermógenes, da direção do MSTL.

“Só estamos aqui porque teve gente que abriu mão da própria vida na luta contra a ditadura”

eduardoEm um momento de extrema emoção, os dirigentes do MSTL, Eduardo Cardoso e Miriam Hermógenes, convidaram representantes dos grupos organizados nos Projetos Frei Tito e Nelson Mandela para assinarem, simbolicamente, o Termo de Adesão. Todas as famílias receberam o símbolo da conquista do direito à moradia: uma porção de terra, retirada do terreno onde os apartamentos serão construídos. A ideia é que cada família cultive uma planta ou flor nestas terras para, depois, compor o jardim do condomínio.

Em seu pronunciamento, Eduardo Cardoso destacou a importância das parcerias do MSTL com outros movimentos populares e sindicais, com a prefeitura de São Bernardo e com a CAIXA. Segundo ele, graças a projetos como o Minha Casa, Minha Vida, o povo tem tido acesso a direitos historicamente negados e, por isso, convocou a todos a continuarem na luta, para que os programas sociais do governo federal sejam ampliados, não reduzidos, como quer a elite.

Eduardo também fez questão de lembrar que as bases para este processo de inclusão social foram construídas por aqueles que dedicaram suas vidas à construção de uma sociedade justa e fraterna: “Só estamos aqui porque teve gente, como Frei Tito, que abriu mão da própria vida na luta contra a ditadura. Hoje, tem gente defendendo intervenção militar, mas saibam que durante a ditadura nós seríamos impedidos de nos reunir publicamente, como estamos fazendo agora”, afirmou Eduardo Cardoso. Os grupos dos Projetos Frei Tito e Nelson Mandela, que têm como função organizar as famílias e facilitar a troca de informações, homenageiam vários destes lutadores do povo contra a ditadura e outras formas de opressão, como Carlos Marighela, Olga Benário, Zuzu Angel, Margarida Maria Alves, Che Guevara, Maria da Penha, Márcia Dangremon, Dândara e Zumbi dos Palmares.

Expectativa é de aprovação total até março e início das obras em abril

Durante o evento, o MSTL celebrou a proximidade de aprovação do alvará por parte da Prefeitura de São Bernardo, o que foi confirmado pela Secretária de Habitação, Tássia Regino, e a expectativa de aprovação das demais famílias na Assembleia de março. Com isso, há uma grande expectativa para o início das obras em abril.

“Se Deus quiser, nossa próxima grande atividade será em abril, quando colocaremos o primeiro tijolo em nosso terreno e iniciaremos as obras”, afirmou Eduardo Cardoso.

colaboradoresParceiros importantes e Frei Betto demonstram importância da organização e da luta popular

Às centenas de famílias presentes, uniram-se parceiros do MSTL, autoridades da Prefeitura de São Bernardo, representantes da CAIXA, o grupo Mistura Popular, liderado pelo músico Jadir Bonacina.

Compuseram a mesa para a Solenidade de Assinatura do Termo de Adesão, o escritor e companheiro de primeira hora do MSTL, Frei Betto, o presidente do SINDSERV, Giovani Chagas, a diretora do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Ana Nice, Manoel Del Rio, da Frente de Luta por Moradia, e o presidente do Partido dos Trabalhadores de São Bernardo, Braz Marinho, que representaram os parceiros do MSTL, os secretários municipais Tarcísio Secolli (Serviços Urbanos), José Albino (Governo), Paulo Dias (Educação) e Tássia Regino (Habitação), representando a Prefeitura de São Bernardo, Rafael, representando a CAIXA, e o arquiteto Glauber do Rosário, representando o corpo técnico dos Projetos Frei Tito e Nelson Mandela. O vereador José Ferreira também marcou presença na atividade.

Para abrir os trabalhos, Frei Betto fez uma palestra sobre as vidas e obras dos dois patronos dos projetos do Bairro Cooperativa: Frei Tito e Nelson Mandela, destacando a importância dos dois como exemplos de dedicação à luta na organização do povo, na resistência popular e na doação ao bem comum. “É uma honra viver em comunidades com os nomes destes dois lutadores e, por isso, acho que vocês devem fazer um trabalho no bairro, nas escolas e associações, para que os moradores da região, especialmente as crianças, conheçam as histórias de Frei Tito e de Nelson Mandela”, sugeriu Frei Betto.

Tarcísio Secolli, representando o prefeito de São Bernardo, destacou a importância da parceria entre a Prefeitura e o MSTL na construção dos apartamentos e disse que a atividade reforçava convicções importantes em sua vida: “Vocês não fazem ideia do quão importante esta atividade está sendo para mim. Ela reforça convicções e compromissos importantes que me ajudam a compreender, cada vez mais, a importância do trabalho que estamos desenvolvendo e me prepara para os futuros desafios que devo enfrentar”, afirmou o coordenador de governo de São Bernardo.

 

LEIA TAMBÉM: