Nossos Projetos

frei bettoNo dia 16 de janeiro, o escritor e frade dominicano, Frei Betto, participará da Solenidade de Assinatura do Termo de Adesão das famílias dos Projetos Frei Tito e Nelson Mandela, aprovadas pela CAIXA, através do Programa Minha Casa, Minha Vida. Durante a abertura da atividade, Frei Betto fará uma palestra sobre os legados de Frei Tito e Nelson Mandela, patronos dos projetos do MSTL no Bairro Cooperativa, São Bernardo do Campo.

Os confrades Tito e Betto, ambos dominicanos, viveram no mesmo convento em São Paulo, nos anos 60, e participaram ativamente da luta contra a ditadura militar. Por sugestão do próprio Frei Betto, que é um antigo parceiro do MSTL, as famílias aprovaram, através de Assembleia, o nome de Frei Tito como patrono de um dos projetos do Bairro Cooperativa, que também conta com o Projeto Nelson Mandela.

Através destes projetos, 800 famílias conquistaram o direito à moradia e serão atendidas em apartamentos de dois dormitórios e total infraestrutura, incluindo espaços comunitários, como lavanderia popular, creche, padaria comunitária e área de lazer.

ANOTE NA SUA AGENDA:

A palestra com Frei Betto acontece no dia 16 de janeiro, às 10h, no CENFORPE, que fica na Av. Dom Jaime de Barros Câmara, 201, Bairro Planalto, São Bernardo do Campo.

Clique aqui e veja como chegar ao CENFORPE.

SAIBA MAIS SOBRE FREI BETTO

Autor de 60 livros, editados no Brasil e no exterior, Frei Betto nasceu em Belo Horizonte (MG). Estudou jornalismo, antropologia, filosofia e teologia.

Frade dominicano e escritor, ganhou em 1982 o Jabuti, principal prêmio literário do Brasil, concedido pela Câmara Brasileira do Livro, por seu livro de memórias Batismo de Sangue (Rocco). Em 1982, foi eleito Intelectual do Ano pelos escritores filiados à União Brasileira de Escritores, que lhe deram o Prêmio Juca Pato por sua obra Fidel e a religião. Seu livro A noite em que Jesus nasceu (Editora Vozes) ganhou o prêmio de "Melhor Obra Infanto-Juvenil" de 1998, concedido pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Em 2005, o júri da Câmara Brasileira do Livro premiou-o mais uma vez, agora na categoria Crônicas e Contos, pela obra Típicos Tipos – perfis literários (Editora A Girafa). Em 2011, seu romance policial Hotel Brasil (Rocco) ficou entre as dez obras finalistas do Prêmio Jabuti, no quinto lugar. Em 2012, seu romance Minas do Ouro (Rocco) ficou entre os finalistas do Prêmio Portugal Telecom.

Ainda na área cultural, foi assistente de direção de José Celso Martinez Corrêa no Teatro Oficina, na primeira montagem da peça de Oswald de Andrade, “O rei da vela” e crítico de teatro do jornal Folha da Tarde (1967/1968)

Foi coordenador da ANAMPOS (Articulação Nacional de Movimentos Populares e Sindicais), participou da fundação da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e da CMP (Central de Movimentos Populares). Prestou assessoria à Pastoral Operária do ABC (São Paulo), ao Instituto Cidadania (São Paulo) e às Comunidades Eclesiais de Base (CEBs). Foi também consultor do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Em 2003 e 2004 atuou como Assessor Especial do Presidente da República e coordenador de Mobilização Social do Programa Fome Zero. Desde 2007 é membro do Conselho Consultivo da Comissão Justiça e Paz de São Paulo. É sócio fundador do Programa Todos pela Educação.

Colabora com vários jornais, revistas, sites e blogs, no Brasil e no exterior.